Mercado de brinquedos

A indústria brasileira de brinquedos no Brasil deve faturar R$ 2.512 bilhões em 2008 e crescer 12,5% na comparação com o ano passado, quando atingiu apenas 2% de crescimento e obteve R$ 2.234 milhões (R$867 milhões em produção nacional e R$1.367 bilhão de importações), de acordo com a Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos (Abrinq). Para o presidente da entidade, Synésio Batista da Costa, três razões explicam esta projeção mais otimista para o setor: “Primeiro, 80% dos brinquedos lançados são populares, pois são no valor de até R$ 50. Segundo, a qualidade dos produtos nacionais está aliada a preços mais baixos para competirem com os produtos chineses no mercado. E a terceira razão que deve auxiliar nesse crescimento é o lançamento de 1500 brinquedos neste ano, já que as novidades agradam as crianças”, afirma.

 Atualmente, o mercado infantil é estimado em 35 milhões de consumidores de 0 a 14 anos, mais de 60% das crianças do País inteiro.  A indústria de brinquedos reúne 318 fábricas, que geram 22.640 empregos diretos. Somando o varejo – cerca de 15 mil pontos de venda – o faturamento do setor ultrapassa os R$ 2,5 bilhões e o número de empregos chega a 200 mil. A expectativa só não é maior porque há entraves como a desoneração da produção, que eleva os preços e aumenta o subfaturamento do setor, segundo Costa.

 Para alavancar as vendas de brinquedos as empresas apostam nos lançamentos de produtos licenciados dos personagens dos filmes e televisão. As tendências para este ano foram apresentadas na 25ª Abrin, maior feira de brinquedos do País destinada aos profissionais da área, que aconteceu recentemente na Zona Norte da capital paulista.

Entre as novidades licenciadas estão brinquedos e fantasias dos personagens Hulk, Iron Man, Naruto, Moranguinho, Barbie, Batman, Chiquititas e Speed Racer.


Personagens: licenciados agradam crianças e vendem o ano todo

De acordo com Kiko Smitas, diretor da Fantasias SulAmericana, a licença é muito importante para seu negócio, pois a fantasia do personagem é um produto que a criança pode brincar durante o ano inteiro, independente da época. “Justamente por poder criar uma demanda independente dos eventos como o carnaval, festa junina, halloween ou o dia das crianças, a licença dá a oportunidade de você estar com o seu produto no ponto de venda durante o ano todo”, ressalta Smitas.

 Somente com os novos licenciamentos, a Gulliver espera alcançar à cifra de R$ 62 milhões, o que representa um crescimento de 8% sobre 2007. Com sua linha Iron Man, composta por nove itens, entre bonecos articulados e brinquedos de ação, a empresa espera vender mais de 100 mil peças. “O licenciamento é fundamental para driblarmos a sazonalidade nas vendas de brinquedos, além de tornar os produtos mais atrativos”, diz Paulo Benzatti, diretor comercial da empresa.

Iron Man: lançamento da Gulliver deve vender 100 mil itens neste ano

Mercado high tech 

Além dos personagens licenciados, a feira também apresentou a tecnologia como outra tendência e atrativo no mercado de brinquedos. “A tecnologia e a diversificação dos brinquedos eletrônicos é o que mais chamou minha atenção”, enfatizou o visitante Eli Borges, bancário.

 No Brasil, o mercado de brinquedos eletrônicos para crianças já responde por uma fatia de 16,6% do total dos produtos voltados para o segmento infantil, de acordo com pesquisa feita pela USP em parceria com a Mattel.

Um dos lançamentos que seguem essa idéia tecnológica é o Eye Clops da Long Jump, um olho microscópico que, conectado a TV, aumenta as imagens em até 200 vezes permitindo ver minúcias da pele, dos tecidos, dos fios de cabelos e do que mais a imaginação da criançada permitir.

Eye Clops: câmera ultrapotente

Já a Gulliver aposta na linha Spy Gear. Uma série de apetrechos eletrônicos de espionagem voltada para as crianças a partir dos seis anos. A linha contém sprays para visualizar lasers, dispositivos de escuta e binóculo com luzes para noite, entre outros produtos.

A Candide também apresentou seu novo produto na feira apostando na tecnologia, o Guitar Hero, um simulador de guitarra, que vem com 10 toques de solos, mais um pequeno amplificador, palhetas e fivela.

Carro voador: brinquedo importado chama atenção dos visitantes

Outra novidade que chamou a atenção dos visitantes foi o carro que voa. O brinquedo XPV (Xtreme Power Vehicle), importado pela Astrotoys, pode atingir uma velocidade de até 50km/h e altura equivalente a 20 andares, e também acompanha controle remoto e funciona com uma bateria recarregável. A empresa afirma que a novidade promete encantar especialmente os apaixonados por aeromodelismo.

Brincas ao ar Livre: 
Mas nada substitui o maior das brincadeiras, que é saúde e bem estar praticando exercicios fisicos deste criança.
Veja na imagem a treinadora do Q 48 (um treinamento intenso para adultos) dando sua aula para crianças.

Foto 12 10 15 12 47 00